menu
  • Arquivo
  • La Bruja de Cildo Meireles
    08 Setembro 2011
    ,
    Documentos mostram a obra que, com centenas de metros de comprimento, invadiu o Pavilhão Bienal em 1981

    La Bruja (1980) de Cildo Meireles ©José Roberto Cecato

    Cildo Meireles participou pela primeira vez de uma Bienal na 16ª edição (1981). Desde então, ele já participou de outras cinco. Do trabalho apresentado em seu début na Bienal, La bruja, constam algumas imagens, os croquis e sua ficha de inscrição. Com centenas de metros de comprimento, os pelos da vassoura de La bruja invadiam o Pavilhão Bienal e passavam pela entrada principal, numa clara provocação à instituição e seus limites:


    La Bruja (1980) de Cildo Meireles ©José Roberto Cecato

    La Bruja (1980) de Cildo Meireles ©José Roberto Cecato
    DOART_CILDOMEIRELES_00004.jpg
    DOART_CILDOMEIRELES_00003.jpg
    DOART_CILDOMEIRELES_00002.jpg
    DOART_CILDOMEIRELES_00001A.jpg
    DOART_CILDOMEIRELES_00001B.jpg

    Antes mesmo de vermos La bruja, há 35 anos, em uma entrevista de janeiro de 1976 realizada por Hugo Auler para o Correio Braziliense, Cildo já antevia o futuro dos museus:

    cildo-entrevista.jpg
    Fernanda Curi Fernanda Araujo Curi é Arquiteta e Urbanista, Mestre em Museologia. Atualmente desenvolve a pesquisa "Parque Ibirapuera - 60 anos (1954-2014) Símbolo urbano, metáfora da urbanidade" no programa de Pós Graduação da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo – FAU USP e trabalha como Pesquisadora no Arquivo Wanda Svevo da Fundação Bienal de São Paulo.