Autoria: Rico Lins
"Seguindo na esteira da ruptura com os cânones modernos, o cartaz apóia-se na colagem como recurso básico de geração de imagem. Complexidade ao invés de simplicidade, profusão ao invés de concisão. A colagem mistura referências da história da arte, incluindo de uma coluna grega, passando pelo Pensador, de Rodin, e chegando até a videoarte. Trata-se de uma tentativa de traduzir os princípios da curadoria, que consistiam em abrir o evento para a cultura urbana e para a multiplicidade das manifestações artísticas". Bienal 50 Anos, 1951-2001, 2001, p.302