Autoria: Fernando Bakos
"O cartaz não mostra a obra, mas a embalagem da obra. Trata-se de uma embalagem industrial, sobre a qual foram feitas inscrições em um grafismo impregnado de uma gestualidade descuidada. A imagem resultante faz referência tanto a procedimentos artísticos voltados à valorização da banalidade do cotidiano, quanto à preocupação da arte para com seus próprios processos, inclusive o de sua legitimação por meio de eventos do circuito internacional". Bienal 50 Anos, 1951-2001, 2001, p.302