menu
  • Geral
  • 31ª Bienal
27 Outubro 2015
Seleção de obras da 31ª Bienal em Cuiabá
©Asger Jorn
©Asger Jorn 10.000 anos de arte popular nórdica
A partir de novembro, dezesseis artistas da 31ª Bienal apresentam-se no Palácio da Instrução.

De 3 de novembro a 6 de dezembro, o Palácio da Instrução de Cuiabá apresenta exposição de obras a partir da 31ª Bienal de São Paulo - Como (...) coisas que não existem, ocorrida em 2014 no Pavilhão da Bienal. Uma amostra da experiência que se desenvolveu no último ano leva um conjunto de 49 obras à instituição anfitriã, projetando as questões da Bienal e o repertório de 16 artistas selecionados para novos públicos. A curadoria é de Charles Esche, Pablo Lafuente, Nuria Enguita Mayo, Galit Eilat, Oren Sagiv, Benjamin Seroussi e Luiza Proença.

No Palácio da Instrução serão apresentados os projetos: 10.000 anos de arte popular nórdica, de Asger Jorn; É apenas o vértice do mundo interior, de Agnieszka Piksa; Casa de Caboclo, de Arthur Scovino; Ponto de encontro, de Bruno Pacheco; Vila Maria, de Danica Dakić; Não é sobre sapatos, de Gabriel Mascaro; Violência, de Juan Carlos Romero; Não-ideias, de Marta Neves; Handira, de Teresa Lanceta; Cartas ao leitor (1864, 1877, 1916, 1923), de Walid Raad; A leitora de café, de Michael Kessus Gedalyovich; A última aventura, de Romy Pocztaruk; Série Negra/Cabine telefônica aberta, de Nilbar Güreş; Nosso Lar, Brasília, de Jonas Staal; Sem título, de Vivian Suter e Ymá Nhandehetama, de Armando Queiroz com Almires Martins e Marcelo Rodrigues.

O título da 31ª Bienal – Como (...) coisas que não existem – é uma invocação poética do potencial da arte e de sua capacidade de agir e intervir em locais e comunidades onde ela se manifesta. O leque de possibilidades para essa ação e intervenção está aberto – uma abertura que é a razão da constante alteração do primeiro dos dois verbos no título, antecipando as ações que poderiam tornar presentes as coisas que não existem. "Começamos por falar sobre elas, para em seguida viver com elas, e então usar, mas também lutar por e aprender com essas coisas, em uma lista sem fim" - explica a curadoria.

Como parte da iniciativa, estão previstos encontros de educadores da rede pública de ensino de Cuiabá e Várzea Grande, além de debates, oficinas e encontros sobre arte contemporânea com artistas e o público mato-grossense.

Saiba mais sobre a 31ª Bienal de São Paulo - Obras selecionadas

31ª Bienal de São Paulo - Obras selecionadas
Palácio da Instrução
3 de novembro a 6 de dezembro
Rua Antônio Maria, 251, Praça da República, Centro Norte. Cuiabá-MT
ter-sex: 8h - 20h; sáb e dom: 10h - 18h
Agendamento de grupos para visitas e participação na ação educativa por
e-mail e telefone, mediante disponibilidade de horários.
T: (65) 3613-9235/ 9240/ 0200
31bienalmt@secel.mt.gov.br
Entrada gratuita

33ª Bienal de São Paulo
31 Outubro 2017
33ª Bienal de São Paulo
31 Outubro 2017
33ª Bienal de São Paulo
09 Junho 2017
32ª Bienal de São Paulo
21 Fevereiro 2017
32ª Bienal de São Paulo
02 Fevereiro 2017
32ª Bienal de São Paulo
26 Dezembro 2016
32ª Bienal de São Paulo
20 Dezembro 2016
32ª Bienal de São Paulo
12 Dezembro 2016