menu
  • Educativo
  • 31ª Bienal
16 Abril 2014
Em constante formação
Saiba como foi o curso de formação para os supervisores que vão atuar na 31ª bienal


Ação poética desenvolvida durante o curso de formação para supervisores

Quando a 31ª Bienal abrir as portas em 6 de setembro, uma equipe prevista de 200 educadores e 12 supervisores estará na linha de frente para realizar o atendimento ao público espontâneo e agendado, sobretudo, de alunos e professores. São eles que realizam as visitas orientadas de pequenos grupos pelo espaço expositivo, dialogando, buscando percursos instigantes, provocativos e inspiradores. Para que cada visita seja única, ajustada às necessidades dos diferentes públicos e às diretrizes educacionais e curatoriais, o Educativo Bienal realiza um intenso curso de formação dos educadores, que começou em abril e se encerra juntamente com a exposição.

A primeira etapa do curso gratuito foi dedicada à formação dos supervisores, responsáveis pela atuação de cada um dos educadores antes e durante a mostra. A concorrência para fazer parte do time de supervisores foi intensa. Durante o processo de seleção, houve mais de 700 inscritos para as 14 vagas do curso.


Registro do dia 04/04/2014 feito por Pedro Andrada durante o curso de formação intensivo para supervisores

O grupo de supervisores da 31ª bienal é bem diverso. Formado por educadores que já passaram por outras instituições culturais, ongs e escolas, eles têm formações, cursos, experiências profissionais e repertórios bem diferentes. “Estamos entrando no nosso quinto curso de formação de educadores, e começamos a pensar quem é esse profissional que vai trabalhar como supervisor. Apesar da experiência de cada um, eles também trazem questões, dúvidas e diferentes contribuições para a formação do grande grupo de educadores”, explicou a supervisora geral de relações internas e formação Carolina Melo.

Os nove dias de curso intensivo abordou desde exposições teóricas, práticas corporais, ações em ateliês como forma de construção de conteúdo, leitura e conversa sobre referências teóricas, visita à instituição cultural, questões de logística de como organizar os grupos no espaço expositivo e as possibilidades de trabalhar com os materiais educativos. Questões da arte e da educação, a coletividade e o relacionamento humano também fizeram parte da formação, assim como o compartilhamento de ideias e o desenvolvimento da criação coletiva.


Mais uma página do registro feito por Pedro Andrada durante o curso de formação intensivo para supervisores

A formação durante o curso também é um momento para eles sentirem as alternâncias de protagonismo que acontecem ao longo do processo. A intenção é que supervisores construam e encontrem interesses em comum para formar um grupo de atuação, que tenha autonomia e que também traga questionamentos. “Eles conseguiram potencializar as diferenças e formações de cada um. O que eles estão vivendo no grupo é uma ‘mini experiência’ do que eles vão viver com os educadores, que também será um grupo muito diverso, no qual as diferenças sociais e conceituais sempre se destacam”, diz Melo.


Equipe de supervisores da 31ª bienal

Fotos: Sofia Colucci e Carolina Melo
Imagens: Pedro Andrada
Texto: Vivian Lobato

33ª Bienal de São Paulo
31 Outubro 2017
33ª Bienal de São Paulo
31 Outubro 2017
33ª Bienal de São Paulo
09 Junho 2017
32ª Bienal de São Paulo
21 Fevereiro 2017
32ª Bienal de São Paulo
02 Fevereiro 2017
32ª Bienal de São Paulo
26 Dezembro 2016
32ª Bienal de São Paulo
20 Dezembro 2016
32ª Bienal de São Paulo
12 Dezembro 2016