menu
busca
03 Mai 2022
Pavilhão aberto 2022
Circulação livre durante o primeiro encontro deste ano do programa Pavilhão aberto © Levi Fanan / Fundação Bienal de São Paulo
Circulação livre durante o primeiro encontro deste ano do programa Pavilhão aberto © Levi Fanan / Fundação Bienal de São Paulo
Próximos encontros serão em setembro e outubro. Participe!

A Fundação Bienal de São Paulo lançou em maio deste ano o Pavilhão aberto 2022, segunda edição do programa que permite aos visitantes acesso ao prédio vazio, com palestras e atividades complementares. Durante as visitas, o público tem a oportunidade de conhecer o Pavilhão Ciccillo Matarazzo de outra maneira, descobrir aspectos históricos, urbanísticos e curiosidades da Bienal. Para o ciclo de 2022, o formato dos encontros foi aprimorado, e agora eles também contarão com oficinas para crianças, conteúdos virtuais e visitas conduzidas pela equipe da Fundação Bienal, além da já conhecida palestra realizada por uma pessoa convidada. Nossa equipe preparou também uma seleção de músicas que têm relação com a história das bienais, para cada encontro.

Este ano, o programa tratará de questões relacionadas à preservação, modernização e usos contemporâneos desse patrimônio histórico e arquitetônico. Serão seis encontros em 2022, divididos em dois programas com enfoques complementares. O primeiro programa, que acontece de maio a julho, parte do protagonismo do Pavilhão da Bienal na criação de um imaginário de futuro para abordar conflitos contemporâneos que atravessam esse importante eixo cultural da cidade de São Paulo. O segundo programa, que acontece em setembro e outubro, buscará discutir como o espaço determina experiências estéticas e sociais, e como artistas contribuem para imaginar diferentes usos para ele.

A primeira edição do Pavilhão aberto aconteceu entre setembro de 2019 e janeiro de 2020, e reuniu ações com os arquitetos Álvaro Razuk, Anna Helena Villela, Lúcio Gomes Machado e o curador Rodrigo Queiroz. 

*Em 2022, já foram realizados três encontros do programa Pavilhão aberto. Confira como foram os encontros anteriores:   

16/07: Ações para uma cidade compartilhada
com o padre Julio Lancellotti e a artista Carmela Gross

11/06: Urbanidades possíveis
conversa com Louise Lenate Ferreira da Silva

15/5: Moderno na arquitetura
conversa com Guilherme Wisnik