menu
busca
12 Dez 2012
Adeus a Oscar Niemeyer
Dois documentos do acervo da Bienal aproximam sua história à do arquiteto do Pavilhão Ciccillo Matarazzo, falecido em dezembro de 2012, no Rio de Janeiro

Pouco antes de completar 105 anos de idade, o arquiteto Oscar Niemeyer faleceu no dia 5 de dezembro de 2012 no Rio de Janeiro. Autor do emblemático edifício onde se situa a Fundação Bienal de São Paulo, o Pavilhão Ciccillo Matarazzo – antigo Palácio das Indústrias – é parte do seu conjunto arquitetônico mais famoso em São Paulo: o Parque Ibirapuera.

Dois documentos do acervo da Bienal aproximam sua história à de Oscar Niemeyer. O primeiro deles, uma fotografia de autoria desconhecida, de 1985, na qual o arquiteto passeia pela 18ª Bienal. Este é o único registro fotográfico encontrado no Arquivo Bienal que retrata uma visita de Niemeyer ao pavilhão:

PAV_CICCILLO_00006_p01.jpg
Cecilia Scharlach, Haron Cohen, Oscar Niemeyer, Roberto Muylaert e Luiz Norberto Collazi. Autor não identificado

O Parque Ibirapuera foi construído para a comemoração do IV Centenário da cidade de São Paulo, em 1954. Foi Ciccillo Matarazzo, como presidente da comissão do IV Centenário, que convocou Niemeyer e equipe para o projeto. Feito a toque de caixa, os primeiros pavilhões do parque ficaram prontos em um ano, a tempo de abrigar a 2ª Bienal, em dezembro de 1953. O parque foi inaugurado em agosto de 1954, e, dos seis palácios/pavilhões que constavam no projeto original, somente o auditório não foi construído. Em 2004, cinquenta anos após a inauguração do parque, o Auditório – reprojetado pelo próprio Niemeyer – finalmente completou o conjunto da obra.

Sobre o projeto do Parque Ibirapuera, consta no acervo da Bienal um documento não assinado, de 1953, que se inicia com os nomes dos membros da equipe de Niemeyer. É o registro mais antigo encontrado sobre o projeto:

IVCEN_00002_DOCUM_01.jpg
IVCEN_00002_DOCUM_02.jpg