Relatório de Gestão 2017-2018

Tópicos da seção

    Mostras

    Ao longo do biênio 2017-2018, a Fundação Bienal de São Paulo realizou a 33ª Bienal de São Paulo – Afinidades afetivas, o programa de mostras itinerantes da 32ª Bienal de São Paulo – Incerteza viva e as representações oficias do Brasil na 57ª Bienal de Arte de Veneza e na 16ª Bienal de Arquitetura de Veneza. O público somado das mostras foi de 1.762.000.

    • "Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Aenean nec neque at lacus molestie elementum. Fusce id varius mauris. In aliquam porta ligula rutrum malesuada", Ayrton Grazioli

    33ª Bienal de São Paulo - Afinidades afetivas

    A exposição, com curadoria do espanhol Gabriel Pérez-Barreiro, buscou um modelo alternativo ao uso de temáticas, privilegiando o olhar dos artistas sobre seus próprios contextos criativos.

    • "Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Aenean nec neque at lacus molestie elementum. Fusce id varius mauris. In aliquam porta ligula rutrum malesuada", Ayrton Grazioli

    32ª Bienal de São Paulo – Itinerâncias

    O circuito de exposições itinerantes da 32ª Bienal de São Paulo – Incerteza viva levou 41 projetos da 32ª edição da Bienal para 11 cidades no Brasil e duas no exterior e alcançou o recorde de visitações desde a criação do programa.

    • "Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Aenean nec neque at lacus molestie elementum. Fusce id varius mauris. In aliquam porta ligula rutrum malesuada", Ayrton Grazioli

    57ª Bienal de Veneza - Representação brasileira

    A participação brasileira na 57ª Exposição Internacional de Arte – La Biennale di Venezia (2017), curada por Jochen Volz, consistiu na instalação Chão de Caça, criada pela artista mineira Cinthia Marcelle (1974). 

    • "Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Aenean nec neque at lacus molestie elementum. Fusce id varius mauris. In aliquam porta ligula rutrum malesuada", Ayrton Grazioli

    16ª Bienal de Arquitetura de Veneza - Representação brasileira

    Em resposta à proposta curatorial da Biennale Architettura 2018, que nesta edição teve como tema Freespace, a participação oficial do Brasil em Veneza recebeu o nome de Muros de ar.